quinta-feira, 4 de abril de 2019

PC PRENDE ACUSADO DE MATAR GERENTE DO LEITE CARIRI

(Atualizado)
*“Doutor fui eu que matei o sr. Pedro, mas foi um acidente”, disse acusado
*Ele era ex-funcionário da empresa
Policiais da 11ªDSPC/Quieimadas elucidaram o latrocínio de que foi vítima o gerente do “Leite Cariri”, Pedro Bezerra Cabral.
O crime ocorreu no dia 29 de março do ano passado, no sítio “Paulo de Souza”, em Caturité, no Cariri.
O acusado trata-se de Márcio Cardoso Belo, de 40 anos de idade.
Segundo informações da polícia civil, ao ser interrogado ele disse: doutor, fui eu que matei o sr. Pedro, mas foi um acidente”.

No interrogatório ele contou que  se dirigiu a casa da vítima, com uma espingarda de fabricação artesanal e com uma meia calça cobrindo o rosto, com o objetivo de roubá-lo, sendo que ao chegar o sr. Pedro estava cortando capim no curral, tendo o abordado por trás anunciando o assalto, conduzindo-o até a sede da casa, só que no momento em que Pedro ao abrir a porta acabou fazendo um movimento para atrás provocando o disparo que atingiu a sua nuca. Confessou ainda que após Pedro ser atingido ainda entrou na casa e subtraiu uma espingarda de cartucho, que vendeu posteriormente”, informou o delegado seccional Iasley Almeida.
(Márcio Cardoso)
As investigações foram conduzidas pelo delegado João Joaldo e equipe.
O acusado já estava preso no manicômio em João Pessoa respondendo por  crime roubo, porém a "internação" dele no local se deu pelo fato de Márcio ser dependente químico (de cocaína).
Em contato como www.renatodiniz.com, o  delegado João Joaldo informou que a investigação foi muito complexa.
O acusado já tinha sido ouvido anteriormente e negou tudo, porém a casa caiu com o aprofundamento das investigações.
Um fator primordial para o esclarecimento do latrocínio foi que, no dia do crime, o filho menor de idade de Márcio viu o pai chegar em casa com a camisa suja de sangue e em seguida queimá-la no terreno.
A partir de então o álibi  do acusado foi desmoronando.
Ele era ex-funcionário da empresa onde Pedro Bezzera, que tinha 60 anos, era gerente.
POSSE ILEGAL
Um homem foi preso no sítio “Boa Vista”, em Queimadas, por posse de arma.
Na casa dele foram encontrados um revólver calibre “38” e munições.
“Mó”, como ele é conhecido, “já respondeu e ficou preso por vários anos por ter cometido um crime de latrocínio”, segundo a PC em Queimadas.
(Por www.renatodiniz.com com 11ªDSPC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário