terça-feira, 16 de julho de 2019

CASAL ACUSADO DE TORTURAR MENINO DE SETE ANOS VAI SER OUVIDO PELA PC

O inquérito policial que investiga o casal acusado de torturar o menino de sete anos em Boqueirão e que está sob a responsabilidade 11ªDSPC, em Queimadas, continua em pleno curso.

É possível que a polícia  tome o depoimento de aproximadamente dez pessoas.
Na semana passada a mãe e o padrasto do menino foram presos pela polícia militar em Boqueirão, porém foram liberados na polícia civil.
O delegado seccional Iasley Almeida explicou que o casal foi apresentado à Delegacia em Queimadas durante o plantão e naquele momento já não havia mais situação de flagrante.
A polícia ainda não tem data para ouvir o casal.
O menino continua internado no Hospital de Trauma em Campina Grande desde a noite da quarta-feira (10).
A criança chegou desnutrida, bastante ferida com hematomas pelo corpo todo.
O garoto era amarrado, acorrentado, espancado, queimado com pingos de vela e também surrado com fios.
Ele vai passar por cirurgia no couro cabelo onde será feito um enxerto.
ENTENDA O CASO 
O menino vinha sendo torturado pela mãe, segundo a polícia civil.
O padrasto também é acusado.
A criança mora no Bairro Bela Vista, em Boqueirão, no Cariri.
O garoto era acorrentado, amarrado, sofria queimaduras com pingos de vela e era surrado com fios nos testículos, costas e cabeça.
O Conselho Tutelar de Boqueirão tomou conhecimento do caso após receber a denúncia, porém foi a partir da escola, onde o menino estuda que tudo começou a ser descoberto.
Os professores notaram uma criança triste, sem ânimo e desnutrida.
A PM e a PC resgataram a criança que foi levada para o Hospital da cidade, mas devido ao estado de desnutrição e gravidade, ela foi encaminhada para Campina Grande.
Durante entrevista que concedeu a Patrulha da Cidade/TV Borborema/SBT na quinta-feira (11) o delegado seccional Iasley Almeida foi enfático ao se referir à situação: “vamos reprimir de forma dura e severa... Maus tratos é uma conduta muito insignificante em comparação a prática criminosa da mãe...”.
Por um tempo a criança morou com a avó, informou a polícia, mas havia dois meses voltou a morar com a mãe.
(Por www.renatodiniz.com)

Um comentário:

  1. Eu gostaria muito de ter notícias desse menino, me comoveu muito, desde Agosto não soube de mais nada sobre ele, gostaria muito de saber se está bem e como está!

    ResponderExcluir