terça-feira, 22 de outubro de 2019

BOLSA FAMÍLIA: PREFEITURA DETECTA FRAUDE E DEMITE PRESTADOR DE SERVIÇO

*PF cumpriu Mandado de Busca na casa de funcionário
A polícia federal, sob ordem expedida pela 4ª Vara Federal em Campina Grande, cumpriu um Mandado de Busca e Apreensão na casa de um prestador de serviço do Cadastro Único da Secretaria Municipal de Assistência Social.

O funcionário, que foi desligado da secretaria após cinco anos, é acusado de facilitar/conceder de forma fraudulenta o Bolsa Família para pelo menos 32 famílias da zona leste da cidade.
Foi a própria Prefeitura de Campina Grande, através da SEMAS, quem detectou as fraudes na concessão de benefícios do Bolsa Família.
Fazia dois meses que uma comissão de trabalho da secretaria vinha apurando a ação do então servidor.
O cumprimento de mandado (da PF) ocorreu num imóvel localizado na Rua Joana d’Arc, no Bairro José Pinheiro.
Em nota à imprensa a PF informa que “mediante notícia-crime apresentada pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Campina Grande/PB, a Polícia Federal iniciou investigações, tendo como foco as atividades desenvolvidas por um dos prestadores de serviço contratados pelo Município, para o desempenho de atividades burocráticas na concessão de benefícios assistenciais.
A notícia-crime teve por base o resultado dos trabalhos realizados por Comissão de Trabalho, designada para apurar denúncias de fraude cadastral no Programa Bolsa Família, que chegaram ao conhecimento da Secretaria.
O funcionário é lotado na Unidade do Cadastro Único da Secretaria de Assistência Social, e desempenha a função de cadastrar/atualizar os dados das famílias que serão contempladas ou já recebem o Bolsa Família, realizando atendimentos diários de pessoas interessadas em obter o benefício social.
Assim, valendo-se de sua condição na Secretaria Municipal de Assistência Social de Campina Grande/PB, o servidor realizava a inserção ilícita de dados falsos no Sistema CadÚNICO, com o intuito de gerar o pagamento ou majorar o valor pago do benefício daqueles contemplados no Programa, mediante cobrança de valores indevidos”.
Em entrevista coletiva realizada no Ipsem, Rubens Nascimento, coordenador do Bolsa Família em Campina Grande, prestou esclarecimentos a cerca das fraudes.
Também foi mostrado um documento protocolado junto à polícia federal por parte da procuradoria do munícipio solicitando investigação.
O ofício está datado em 15 de outubro.
Atualmente existem aproximadamente 24 mil famílias cadastradas no Bolsa Família em Campina Grande.
(Por www.renatodiniz.com)

Um comentário: