quarta-feira, 6 de novembro de 2019

DESOCUPAÇÃO DE ÁREA DEBAIXO DA LINHA DA CHESF EM CAMPINA

*Outras edificações serão afetadas
Cerca de 200 policiais militares auxiliaram, nas primeiras horas desta quarta-feira (06/11), uma reintegração de posse reivindicada pela Chesf – Companhia Hidrelétrica do São Francisco.

Duas Varas Cíveis em Campina Grande autorizaram a desocupação de cerca de 01km extensão de um trecho da linha de servidão da Chesf.
Área que fica debaixo da chamada “linha da Chesf”.
O trecho desocupado fica na Avenida Plínio Lemos entre os Bairros Ramadinha e Malvinas.
Máquinas pesadas foram utilizadas para derrubar casas de alvenaria, depósitos, galpões, quiosques, como também barracos construídos de madeiras e com cobertura de zinco.
Conforme os oficiais de justiça, até uma igreja (coberta de zinco) havia sido edificada.

Havia plantações de capim, baias improvisadas para criação de cavalos, chiqueiros de porcos e depósitos para material de construção.
Não houve confronto nem tumulto, mas cerca de 60 pessoas foram surpreendidas com a ação logo cedo.
A Chesf mobilizou estrutura para atender e apoiar os donos de animais e de barracos que estavam no local.
O coronel Roberto Costa do Gerenciamento de Crise da polícia militar coordenou toda ação de reintegração que segundo ele, teve início três meses atrás com reuniões estratégicas e negociações.
O subcomandante regional, Cunha Rolim destacou que essa ação ainda terá outras fases e de acordo com informações obtidas no local, toda e qualquer construção que estiver construída debaixo da linha de servidão da Chesf será demolida.
(Por www.renatodiniz.com)

Um comentário:

  1. E interessante isso ai.No bairro do vexame tem fábricas próximo as redes elétrica da chesf e ninguém vai derrubar.tem casas da caixa econômica tbm ninguém vai derrubar as casas.foi muito fácil derrubar casas de quem não tem defesa pra essas pessoas.

    ResponderExcluir