domingo, 19 de janeiro de 2020

MENTIU: MULHER QUE AFIRMOU TER SIDO TRANCADA PELO MARIDO NO PORTA-MALAS DURANTE OITO HORAS

A mulher que afirmou em depoimento que foi vítima de maus tratos, cárcere privado, violência doméstica pelo próprio marido e que passou oito horas e meia dentro do porta-malas do carro dele só de calcinha e sutiã, simplesmente mentiu deslavadamente.

O caso ocorreu em Esperança no domingo (12/01) e mobilizou a polícia militar e o SAMU, mas a história mistura bebida alcoólica, relacionamento extraconjugal e permanentes conflitos.
O QUE DISSE A MULHER NO DOMINGO E A AÇÃO DA PM
Conforme a mulher, de 45 anos de idade, ela ficou no porta-malas do veículo entre às 15h00 até às 23h30 do domingo.
A PM foi solicitada para uma ocorrência de violência doméstica.
O SAMU acompanhou os PMs.
Lá chegando os PMs perceberam a porta aberta e um carro na garagem da residência com um homem dentro.
Os policiais o chamaram e ele supostamente estava dormindo.
Segundo a polícia militar, foi feita uma revista nele e de repente os PMs ouviram gritos e pedidos de socorro vindos do porta-malas do carro.
Quando se dirigiram, ao porta malas, os policiais se depararam com a mulher chorando.
A mulher apresentava uma série de hematomas pelo corpo.
Uma faca foi apreendida com o marido.
Ele foi conduzido para a sede da 12ªDSPC.
O homem tem 44.
A VERDADE DOS FATOS
Os hematomas foram "feitos por ela"
Na última sexta-feira (17) o delegado Kelsen Vasconcelos, que presidiu o inquérito, concedeu entrevista a Patrulha da Cidade/TV Borborema/SBT e afirmou que tão logo começou a ter acesso ao caso, tanto ele quantos os agentes, perceberam enormes contradições.
"Logo cedo, no dia seguinte (segunda, 13) quando chegou ao nosso conhecimento, a família compareceu a delegacia e informou que tudo aquilo era mentira; que ambos eram alcoólatras contumelioso e quase sempre quando bebiam ocorriam fatos dessa natureza (que ela inventava ciosas em relação ao marido. Então novamente ouvimos a filha do casal, a nora dele e o marido”, informou o delegado.
Kelsen Vasconcelos afirmou também que “no dia seguinte (terça, 14) voltamos a ouvir a mulher que se disse vítima. Ela disse que realmente tinha inventado toda a história, que tinha bebido muito e que tinha misturado a bebida com remédios controlados que ela toma”.
Sobre o fato de a polícia militar ter encontrado a mulher dentro do porta-malas e apenas com roupas intimas, disse o delegado: realmente ela estava dentro do porta-malas, mas o porta-malas não fecha, o carro é aberto (entre o interior do carro e o porta-malas). Eles começaram a discutir, ele foi para o veículo e foi dormir. Em determinado momento ele percebeu que ela entrou no carro e foi para trás e também foi dormir lá”.
De acordo com o delegado a mulher tentou retirar a queixa contra o marido, mas neste caso "ela vai responder por 'denunciação caluniosa', foi indiciada e o inquérito foi encaminhado para a justiça”.
Pessoas que conhecem o casal informaram que é bastante comum o conflito entre o homem e a mulher.
Existe relacionamento extraconjugal  e o homem é apaixonado por ela.
Eles têm um casal de filhos maiores de idade e o álcool tem sido o ingrediente favorável para a degradação do ambiente familiar.
"MUITA CACHAÇA?” 
"Sim, muita cachaça! E segundo ela, há 15 anos toma remédio controlado e mistura o remédio com a cachaça”, acrescentou o delegado.
O homem já responde um inquérito por outra denúncia caluniosa feita pela mulher.
Ela confessou essa outra situação.

(Por www.renatodiniz.com)

3 comentários:

  1. EXISTEM 1 MILHÃO DE LEIS PARA DEFENDER AS MULHERES. ATÉ UMA SIMPLES OLHADA JÁ GERA UM MONTE DE CONVERSA FIADA. E AGORA ? QUAIS AS LEIS PARA NOS PROTEGEREM ? EXISTE ALGUMA LEI CHAMADA MASCULINICÍDIO ?????

    ResponderExcluir