quarta-feira, 15 de agosto de 2018

FURTO DE JOIAS: 500 MIL REAIS EM PREJUÍZOS; DOIS PRESOS PELA DRF, POR TENTATIVA DE ROUBO MILIONÁRIO, ESTÃO ENVOLVIDOS

Os dois homens presos em Campina Grande na sexta-feira (10/08) envolvidos numa tentativa de roubo milionário na cidade, estão também envolvidos num furto de joias que causou um prejuízo de cerca de “500 mil reais”.

Os alvos foram dois estabelecimentos em Catolé do Rocha, no Sertão paraibano, nos meses de abril e junho.
Nesta terça-feira (14), os proprietários estiveram em Campina Grande para prestar depoimentos e reaver os objetos que foram encontrados com os dois homens.
"Isto aqui representa quase nada do que foi furtado”, disse um dos empresários.
As investigações do furto tiveram início em Catolé do Rocha sob a responsabilidade do delegado Sílvio Rabelo e equipe.
Já em Campina Grande a DRF continua as investigações sobre os dois presos.
A polícia já descobriu, por exemplo, que o veículo Fiat Uno em poder deles é clonado.
José Carlos Brabo e Rogério Barros Figueiredo estão no Presídio Regional Provisório, em Campina, mediante Prisão Preventiva determinada pela justiça.
O delegado Victor Melo informou que a permanência deles presos é importante para que polícia continue desmantelando a quadrilha que se preparava para roubar um “carregamento de dinheiro” que chegou numa aeronave no aeroporto João Suassuna na semana passada.
A DRF abortou o roubo após informações e um intenso trabalho investigativo.
ENTENDA
As prisões de dois cearenses em Campina Grande evitou um roubo de milhões de reais, segundo Victor Melo, delegado de Roubos e Furtos.
A PC recebeu informações de que estava sendo arquitetado o roubo de dinheiro que chegou numa aeronave no aeroporto João Suassuna na última sexta-feira (10/08) para abastecer bancos na cidade e de imediato a polícia cuidou de “tomar providências”.
Ao mesmo tempo, baseado nas informações, a PC realizou uma “batida” numa residência no Bairro Cinza e localizou dois homens com um carro roubado no Ceará.
Dentro do veículo foram localizadas joias, semijoias, celulares, relógios e ferramentas.
O material foi roubado numa joalheria de Catolé do Rocha, no Sertão paraibano.
Um dos relógios está avaliado em "4 mil reais".
No porta-luvas do Fiat a polícia localizou um caderno com anotações que vão desde o pagamento ao crime organizado a até rotas de fuga de um presídio federal.
Mas o que mais chamou a atenção dos policiais foi a cópia de um mapa do aeroporto de Campina Grande.
A partir de então a DRF não teve dúvidas: o alvo seria justamente o carregamento de dinheiro.
A Delegacia continua as investigações.
Os presos José Carlos Brabo e Rogério Barros Figueiredo tiveram suas Preventivas decretadas.
O delegado Victor Melo disse que os dois já têm histórico de crime no estado do Pará, no Norte do país.
Por fim, Victor informou que eles já estavam com passagens compradas para Belém, no Pará, para a tarde da sexta.
A PC quer saber agora o que ocorreu com o dono do carro roubado que foi encontrado com os cearenses.
A polícia pode ter evitado o maior roubo da história da cidade, cerca de 20 milhões de reais.
(Por www.renatodiniz.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário