sexta-feira, 30 de novembro de 2018

“VINGANÇA” MOTIVOU CRIME DE SECRETÁRIO NO CARIRI


*Um dos presos usou nome falso é fugitivo de presídio
Vingança!
Este foi o motivo da morte de Andriantônio Cavalcante Queiroz, secretário de infraestrutura de Parari, no Cariri do estado, ocorrida na manhã desta quarta-feira (28/11) em frente ao mercado público da cidade.

Os dois autores presos, de acordo com a polícia civil, confessaram o crime.
Em contato com o www.renatodiniz.com, o delegado João Joaldo, da Seccional de Monteiro, informou que o homicídio tem motivação política e as investigações continuam, pois tem mais gente envolvida.
(Cláudio é na verdade Fábio Wanderson)
O delegado acrescentou que um dos presos é na verdade Fábio Wanderson do Nascimento, foragido da Colônia Penal de Sousa, no Sertão.
Ele tem envolvimento com homicídio.
O homem identificou-se com o nome e identidade falsos de Cláudio Barros da Silva.
O outro preso trata-se de Carlos Sérgio Trajano da Silva.
AS PRISÕES
(Adriantônio)
Policiais militares do 11ºBatalhão/Monteiro prenderam os acusados em flagrante na região de Santo André, no Cariri.
Quando cometeram o crime os assassinos estavam numa moto Bros.
Tão logo a PM tomou conhecimento do homicídio se iniciou uma varredura em toda região.
Ainda pela manhã uma guarnição do sargento Custódio se deparou com uma motocicleta e um Corola no sítio “Pipa”.
Em seguida, com apoio da CPU e ROTAM, durante buscas numa residência, foi percebido que os ocupantes fugiram pela porta dos fundos e se embrenharam num matagal.
Na casa foi encontrada uma espingarda calibre “12”.
Já no veículo (Corola) foram encontrados objetos pessoais, como também a chaves da trava de ignição de uma moto.
As diligências continuaram durante todo o dia, também com apoio do GEOsAC.
No final três homens foram presos em flagrante, sendo que um deles foi liberado.
Os que ficaram presos se identificaram como Cláudio Barros da Silva, 30 anos, e Carlos Sérgio Trajano da Silva, de 32.
O CRIME
Adriantônio Cavalcante Queiróz foi morto a tiros.
Ele estava em frente ao mercado público da cidade quando dois homens em uma moto chegaram já atirando.
Em 2016 ele chegou a ser preso sob a suspeita de envolvimento na morte de Josinaldo Pedro, vereador da cidade, porém foi solto em audiência de custódia.
CIDADE TEVE DOIS VEREADORES ASSASSINADOS EM 2015
O vereador Josinaldo Pedro de Sousa (PSB), 51 anos, mais conhecido como “chorinho”, foi assassinado na manhã do dia 10 de dezembro de 2015 no sítio “Campo Grande”, em Parari.
“Chorinho” estava pegando água no poço próximo a residência onde morava quando dois homens chegaram em uma moto e um deles atirou.
Foram três tiros na cabeça.
Ele morreu no local.
Na época, de acordo com sites do Cariri, “chorinho” teve problemas com o ex-vereador Jocélio Cavalcante, assassinado também a queima roupa dia 26 de setembro em Taperoá.
Josinaldo Pedro estava no primeiro mandato onde obteve 134 votos.
Ele já havia sofrido outros atentados desde a última campanha eleitoral.
Foram disparos na casa e um incêndio misterioso em um caminhão dele.
Em maio de 2015 Josinaldo denunciou à polícia que era ameaçado por Jocélio Cavalcante.
O ex-vereador chegou a ser preso e com ele foram encontradas três armas
(Por www.renatodiniz.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário