quinta-feira, 14 de maio de 2020

COVID-19: DONO DE EMISSORA SUGERE APEDREJAR JORNALISTAS QUE NOTICIAM MORTES

*Entidades se manifestam
*Empresário pediu desculpas
O empresário Roberto Cavalcanti sugeriu nesta quinta-feira (14/05) que jornalistas e radialistas sejam "apedrejados" diante da divulgação de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil. 
O ex-senador (Republicanos) disse que a imprensa comemora os óbitos decorrentes da covid-19 como se fossem "gols da seleção" brasileira.
"Tem determinadas emissoras que dão placar de quantos morreram no país. Parece que são gols da seleção do Brasil. 'Hoje, 10 mil gols, batemos o recorde.' Isso é uma vergonha. Isso é um país que deveria ter vergonha na cara. O jornalista, o radialista que fizesse um negócio desses deveria ser apedrejado na rua", disse. .
A declaração de Cavalcanti foi dada em entrevista ao programa Correio Debate, da rádio Correio 98 FM, que pertence ao Sistema Correio de Comunicação — do qual ele é dono. 
A empresa abrange ainda a TV Correio, afiliada da Rede Record na Paraíba, além de rádios e jornais.
PEDIU DESCULPAS
Mais tarde, Cavalcanti recuou e pediu desculpas, mas criticou o "assassinato de empresas" diante dos impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus no país.
"Na verdade, eu descarrego esse meu silêncio de 62 dias para hoje — talvez me exaltei, peço desculpas. A minha forma de conduzir no dia a dia é da parcimônia, de agregar, de conquistar, mas tem momentos em que você assiste ao assassinato de pessoas, ao assassinato de empresas", afirmou. "Isso não é possível. Não é possível que o Brasil não se revolte contra isso e deixe de lado o problema de ser de um lado ou de outro da política. Já falei demais, peço perdão mais uma vez", encerrou.
(Do Uol)
ENTIDADES SE MANIFESTAM
O Conselho Estadual de Direitos Humanos da Paraíba afirmou que é cogente a necessidade de contrapor-se a tamanho ataque à liberdade de imprensa e à integridade dos jornalistas que tão bravamente exercem sua labuta durante tempos de já constantes ataques ao livre exercício da imprensa no Brasil.
É sempre de bom tom lembrar que a divulgação dos números relativos às vítimas da Covid-19, em nada têm semelhança com “gols” em partidas futebolísticas, mas servem ao bem maior e ao interesse público em manter a população informada dos reais riscos da doença...
Associação Campinense de Imprensa protestou contra a infeliz declaração do empresário Roberto Cavalcante.
A ACI sempre encontrou no empresário Roberto Cavalcante um cidadão intelectual, solidário e consciente de suas responsabilidades como dono de um sistema que é referência no jornalismo.
Entretanto, a entidade não poderia se omitir diante de tais declarações.
Entendemos que elas não merecem ser acolhidas.
O empresário está abatido emocionalmente diante da crise financeira que está “matando” as empresas do referido grupo...
A Associação Paraibana de Imprensa se disse surpreendida.
Conforme a nota, o Brasil atravessa um dos momentos mais controversos para atuação da imprensa, já que o próprio presidente da República e outros políticos atacam rotineiramente os profissionais e a atividade de jornalismo.
Portanto, não precisamos de mais ninguém a incentivar esses ataques, que já saíram do campo da agressão verbal e ganhou episódios de agressão física.
A fala do empresário além de infeliz, contradiz toda história de bravos profissionais que passaram e ainda labutam no seu próprio sistema de Comunicação e também são vítimas da escalada crescente de intimidação e violência contra profissionais de imprensa.
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Paraíba afirmou que  a declaração além de chocante causa repulsa na categoria, que foi considerada como serviço essencial durante a pandemia e continua trabalhando em seus postos normalmente.
Repudiamos esse tipo de postura de qualquer pessoa, especialmente no que se refere a um empresário da área de comunicação.
Tomaremos todas as medidas cabíveis para reparar a categoria em relação a essa declaração infeliz.
A Federação dos Radialistas e Sindicatos filiados expressam seu profundo repúdio as declarações do Sr. Roberto Cavalcanti, ex-senador e empresário do ramo de radiodifusão e jornalismo no Estado da Paraíba. 
Em meio a uma pandemia, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que já levou milhares de pessoas à morte em todo o mundo e já contamina e vitima  uma grande parcela população brasileira, o empresário faz declarações acintosas e agressivas aos profissionais de comunicação, afirmando que "radialistas e jornalistas que noticiam as mortes pelo Covid-19 deveriam ser apedrejados nas ruas".
(Por www.renatodiniz.com)

Um comentário: