quinta-feira, 6 de setembro de 2018

CRITÉRIO DE MERECIMENTO: RICARDO VITAL É O NOVO DESEMBARGADOR DO TJPB

"Trago os postulados que em mim foram moldados desde a gênese: independência, imparcialidade e justiça”.
As palavras foram proferidas pelo novo desembargador do Tribunal de Justiça da Paraíba, Ricardo Vital de Almeida, empossado na madrugada desta quinta-feira (06/09), imediatamente após o processo de escolha, que se deu durante 14 horas de sessão do Pleno.

O desembargador empossado obteve a maior pontuação (1.330,75) entre os 19 juízes que concorreram ao cargo.
O novo desembargador foi conduzido ao Pleno para solenidade de posse pelos desembargadores Fred Coutinho e Maria das Graças Morais Guedes. 
A sessão foi presidida pelo desembargador Joás de Brito Pereira Filho, chefe do Poder Judiciário estadual.
Em nome de toda a Corte, a desembargadora Maria de Fátima Morais Bezerra Cavalcanti deu as boas vindas ao novo membro, proferindo as palavras de saudação e enaltecendo a competência do empossado.
Num tom de aconselhamento, a desembargadora recomendou ao empossado, principalmente, humildade.

"Passar a ser magistrado de 2º grau é uma honra, mas não perca de vista os princípios comportamentais, que são os mesmos de antes, agora e depois. A responsabilidade aumenta, mas, também, o dever que caminha ao seu lado. Apenas uma recomendação: seja humilde. O homem pode ter o porte de um rei, a postura de um fidalgo, mas deve ostentar um coração de vassalo”, declarou.
A ascensão do magistrado também foi destacada pelo procurador de Justiça, Alcides Jansen, que falou em nome do Ministério Público.
Pela Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB-PB), discursou a advogada e esposa do empossado, Aliana Fernandes Vital de Almeida, que destacou o processo democrático como a escolha foi feita, bem como as características do novo membro do TJPB.
Ao fazer uso da palavra, o desembargador empossado enfatizou a importância de se ter em mente o afastamento de vaidades, orgulhos e até de ciúmes e sentimentos que signifiquem um empecilho ao jurisdicionado.
Ao final, agradeceu, também, aos colegas que com ele concorreram à vaga.
"Estou certo de que qualquer um deles que tivesse ascendido a esta consciência nova, que traz tantas responsabilidades, estaria bem representada a nossa magistratura”.
(TJPB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário