quarta-feira, 7 de novembro de 2018

MINISTÉRIO DO TRABALHO SERÁ EXTINTO, DIZ PRESIDENTE ELEITO


O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (07/11) que o Ministério do Trabalho, pasta criada há 88 anos, será incorporado "a algum ministério".

Ele, porém, não informou qual.
Bolsonaro deu a declaração após almoço no Superior Tribunal de Justiça (STJ), oferecido pelo presidente do tribunal e do qual também participou o juiz Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública.
"O Ministério do Trabalho vai ser incorporado a algum ministério", disse o presidente eleito, sem entrar em detalhes.
Nesta terça-feira (6), em meio às especulações sobre a incorporação, o Ministério do Trabalho divulgou nota na qual afirma que a pasta é "seguramente capaz de coordenar as forças produtivas" a fim de "buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros".
"O futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela Nação Brasileira, na efetivação do comando constitucional de buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros", diz o texto da nota.
O Ministério do Trabalho é o responsável por elaborar políticas e diretrizes para a geração de emprego e renda, além da modernização das relações de trabalho.
Além disso, a pasta também é responsável por realizar a fiscalização dos postos de trabalho; participar da elaboração de políticas salariais e de desenvolvimento profissional.
(Por Guilherme Mazui, G1 – Brasília )

8 comentários:

  1. Gostaria de vê os eleitores de bolsolixo agradecendo aqui pelas belas propostas do futuro presidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voves PTRALHAS nao tem o hábito de ler as matérias.. Leia atentamente, comedor de pao com mortadela. Sim, aceita que dói menos.

      Excluir
    2. Nossa, gostaria de saber em qual parte me toca essa palavra "Ptralhas", fica na tua babão de politico, acho que o analfabeto funcional é você mesmo, quando um cara fala no enfraquecimento de uma força ativa como a do ministério do trabalha e alguém acha bom, possivelmente ou é empresario ou babão.

      Excluir
  2. Essa é a forma de fazer política sem o toma lá dá cá , posição adotada pelo PT durante todo governo. O ministério do trabalho não vai ser extinto vai ser somado com outra pasta , assim como meio ambiente com agricultura . Dimujr o número de ministérios PR afetar economia no país . Isso e fazer política pensando na melhoria de todos os brasileiros , prática diferente do PT que previlegiava 6 dúzia de passos . ' o pior cego e aquele que não querer ver ' 17 nesles .

    ResponderExcluir
  3. Salve-se quem puder...futuro incerto.

    ResponderExcluir
  4. Meus, caros se alguém estiver encarando isso como um benefício para o Brasil e para o trabalhador então vcs tem o que merece.mas o próprio avisou que era menos direitos e ainda foi aplaudido,então aguenta ai menos direitos mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Aguarda ai que vem ainda a reforma da previdência,ou seja, mais trabalho mesmo e menos direito kkkk.

    ResponderExcluir
  6. Primeiro veio a reforma trabalhista e praticamente a extinção dos sindicatos trabalhista com temer,agora vem a reforma da previdência e praticamente a extinção do ministério do trabalho com bolsonaro e ainda tem gente falando que o principal prejudicado é um partido político, a semm essa acorda cara,o principal prejudicado é a classe trabalhadora e os principais beneficiados são os empresários.Falta o q para que entendamos isso desenhar é, até pq ele msm falou que era mais trabalho e menos direitos trabalhistas mesmo.

    ResponderExcluir