quinta-feira, 13 de junho de 2019

DIRETORES DO STIUPB APRESENTAM RESULTADOS DAS AUDIÊNCIAS EM BRASÍLIA PARA BARRAR PROJETO QUE PRIVATIZA O SANEAMENTO


Desde a última terça-feira (11/06) até esta quinta (13), os diretores do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb), participaram de reuniões contínuas com deputados e com outras lideranças na luta urbanitária em busca de apoio para barrar Projeto de Privatização do Governo Bolsonaro nas empresas de água e de saneamento.

O presidente do Stiupb, Wilton Maia Velez, além dos diretores Henrique Diógenes e Guilherme Mateus, participaram de encontros diversos com a Comissão Nacional (Frente em Defesa do Saneamento), não apenas com parlamentares, mas também com diretores e assessores da Federação Nacional dos Urbanitários – FNU, para elaboração de emendas ao Projeto do Marco Legal do Saneamento recém aprovado no Senado.
Neste dia 13, pela manhã, a Frente em defesa do saneamento foi mobilizada para:
*Reunião com o deputado Molon (PSB-RJ) e Gervásio Maia (PSB-PB), líder e vice-líder da oposição;
*Reunião com o deputado João Campos (PSB-PE);
*Alinhamento político e estratégico com representantes da Associação dos municípios do Brasil;
*Discussão sobre as ações da próxima semana.

Conforme Wilton Maia, “tivemos algumas informações vindas do secretário Nacional de Saneamento do Governo Federal, dando conta que o Governo Federal irá apresentar um novo Projeto de Lei resgatando o mesmo modelo privatista das MPs de Temer. Isso já seria na próxima semana. Assim, o governo abandonaria o PL de Tasso Jeressaiti (PSDB-CE), que chegou ontem (12) na Câmara”.
NO DIA ANTERIOR
No último dia 12, manhã e tarde, juntamente com representantes da Comissão Nacional (Frente em Defesa do Saneamento), os diretores do Stiupb cumpriram a seguinte agenda:
*Revisamos e definimos as prioridades das emendas que construímos para alterar o texto do Projeto de Lei do Senador Tasso;
*Participamos de reuniões com as lideranças do PDT e Podemos, como também, com alguns deputados da oposição ao governo federal;
*Assistimos a gravação do debate na TV Câmara entre Fernando Monteiro (PP-PE) e Joseildo (PT-BA);
*Participamos da audiência publica no plenário sobre a qualidade da água e uso de agrotóxicos. Inclusive, com alguns companheiros fazendo intervenções orais;
*Tivemos reunião com Dep. Fernando Monteiro ( PP-PE) que possui um projeto de lei que trata do marco regulatório de saneamento.
Rodrigo Maia negociou na semana passada que iria colocar urgência no texto do PL de Tasso para votar hoje (12), no Plenário, porém os eventos das divulgações das mensagens de Moro paralisaram a Câmara.
AGENDA
Dentre as reuniões da semana, um desses encontros foi com o deputado federal Afonso Florence (BA), Líder do PT, que está somando-se a outros que enfileiram essa luta em defesa das empresas públicas de saneamento.
Houve ainda conversa com a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT), uma das apoiadoras da classe urbanitária.
As lideranças sindicais buscam apoio para que empresas públicas, como a Cagepa, em nosso estado e em tantos outros Estados, continuem sendo geridas pelos Governos estaduais e assim continuarem com os programas que apoiam cidades que não possuem condições financeiras de bancar projetos de fornecimento de água e de saneamento.
O Projeto foi aprovado no Senado e está para chegar na Câmara dos Deputados, onde será objeto de análise em Comissão, além aberto para receber emendas.
Wilton Maia afirmou que a luta é grande, mas disse estar confiante que uma boa parcela dos deputados está abraçando a ideia, de que água não é mercadoria e que esse Projeto sendo aprovado, vai gerar quebradeira das empresas, inexistência da universalização do saneamento, além da ausência de interesse de empresas privadas em investimentos em pequenos municípios.
(Por Stiupb)

Nenhum comentário:

Postar um comentário