quinta-feira, 30 de abril de 2020

NOVO MINISTRO SE DIZ "SERVO" E CHAMA BOLSONARO DE "PROFETA"

O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, tomou posse nesta quarta-feira (29/04) prometendo uma atuação técnica, se disse um "servo" e fez um discurso elogioso ao presidente Jair Bolsonaro, a quem se referiu como "profeta no combate à criminalidade".

Sem citar o antecessor, Sérgio Moro, prometeu aumentar o número de operações da Polícia Federal.
"Presidente, Vossa Excelência tem sido há 30 anos um profeta no combate à criminalidade. Assumi o compromisso de lutar por ideias de uma vida que o senhor tem combatido", afirmou Mendonça em cerimônia no Palácio do Planalto. "Cobre de nós mais operações na PF, presidente."
Moro deixou o cargo na semana passada acusando o presidente de tentar interferir politicamente na PF.
Segundo o ex-juiz da Lava Jato, Bolsonaro queria trocar o comando do órgão para poder interferir em investigações e ter acesso a relatórios de inteligência.
O presidente havia nomeado ontem o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, para assumir o comando da PF.
Ramagem chefiou a segurança de Bolsonaro durante a campanha eleitoral e é próximo dos filhos do presidente.
A posse de Ramagem, porém, foi suspensa pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.
Agora, o Palácio do Planalto procura outro nome para o cargo.
Integrantes do Judiciádio, como o ministro Gilmar Mendes, do STF, e o presidente da Corte, Dias Toffoli, participam da posse de Mendonça.
Mendonça também fez acenos ao ministro da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, cotado inicialmente para assumir o Ministério da Justiça no lugar de Moro. Segundo Mendonça, Oliveira é alguém que "abre mão de oportunidades para servir ao Brasil".
O novo ministro demonstrou, ainda, alinhamento com a postura de Bolsonaro contra a imposição de medidas de isolamento social nos Estados.
O presidente pede que o ministro da Justiça se posicione contra os governadores em casos que considera que há excessos.
"A crise não envolve só a saúde, mas emprego, subsistência e direito de ir e vir. Temos que ser capazes de colocar o povo em primeiro lugar."
(Terra)

4 comentários:

  1. Os primeiros que devia ir pra cadeia
    Era os filhos desse maluco do presinte....
    Fica colocado esses paus mandado dele so pra ele usar como fantoches.

    ResponderExcluir
  2. Os primeiros que devia ir pra cadeia
    Era os filhos desse maluco do presinte....
    Fica colocado esses paus mandado dele so pra ele usar como fantoches.

    ResponderExcluir
  3. Quen já era pra ter morrido na cadeia e os filhos de 9 dedos ladrão pilantra safado , de salário mínimo a milhionario. Vc raciocina melhor tomando pitu e comendo mortadela .

    ResponderExcluir
  4. Nosso estado da Paraíba sempre contra o governo federal, esse idiota desse governador contra o presidente tomando decisões pela população paraibana toda, ferrando com a população inteira pelos seus caprichos partidários.

    ResponderExcluir