quinta-feira, 30 de abril de 2020

ROMERO LISTA SEGMENTOS PARA INCLUSÃO COMO ATIVIDADES ESSENCIAIS NO NOVO DECRETO DE JOÃO AZEVEDO

O prefeito Romero Rodrigues definiu um bloco de propostas para o decreto do governador João Azevedo que deverá prorrogar as medidas de manutenção de isolamento social na Paraíba.

Em reunião por videoconferência nesta quarta (29/04) com Azevedo, o colega Luciano Cartaxo, de João Pessoa, e George Coelho, presidente da Federação dos Municípios da Paraíba (Famup), Romero foi instado a apresentar sugestões para uma possível flexibilização pontual de atividades comerciais que não comprometem na essência as orientações de não aglomeração de pessoas.
Entre as atividades que constam na lista de propostas de Romero, que podem perfeitamente evoluírem para a condição de essenciais, destacam-se os seguintes segmentos da área de comércio e de serviços: livraria e papelaria; informática, componentes eletrônicos e provedores de Internet; autopeças; tecidos e aviamentos; imobiliárias; locação de veículos e, finalmente, as que comercializam equipamentos agrícolas.
A rigor, tratam-se de atividades que não representam risco em potencial às medidas de isolamento social e, ao mesmo tempo, têm uma lógica toda própria a credencia-las para, voltando a funcionar, garantir empregos e renda, desde que os estabelecimentos sigam rigorosamente todas as precauções estabelecidas em nossa cartilha técnica, de proteção à saúde de clientes e colaboradores” destaca Romero Rodrigues.
Para o prefeito campinense, segmentos como o de comércio e serviços de informática e provedores de Internet são mutuamente complementares, da mesma forma que o de autopeças, por sua interconexão com as oficinas, que já estão autorizadas a funcionar desde o primeiro decreto municipal.
A lógica em relação à comercialização de tecidos se baseia, segundo Romero Rodrigues, à demanda gigantesca que se tem no momento à confecção de máscaras, sejam caseiras ou profissionais.
INVERNO
O setor de vendas de equipamentos agrícolas, defende o prefeito, também merece uma melhor atenção no decreto estadual como uma área essencial, levando-se em conta a necessidade que, às portas do inverno, o setor agrícola tem demandas muito específicas em relação a material, insumos e máquinas.
É indiscutível o caráter estratégico do agronegócio, principalmente pelo caráter de abastecimento de produtos de primeira necessidade”, observou Romero Rodrigues.
(Por Codecom)

Nenhum comentário:

Postar um comentário