quarta-feira, 6 de maio de 2020

SECRETARIA DE SAÚDE EMITE NOTA SOBRE COMPRAS DE MÁSCARAS N95 NA PARAÍBA

*Saiba também como foi a recomendação do Ministério Público de Contas sobre a questão das compras das máscaras
Sobre a recomendação do Ministério Público de Contas da Paraíba questionando o valor pago pela máscara N95, a Secretaria de Estado da Saúde presta os seguintes esclarecimentos:

1- Ocorreu muita dificuldade de reabastecimento de máscaras N95 na Rede Hospitalar Estadual, inclusive através de Atas de Registro de Preço vigentes, cujos fornecedores se recusavam a entregar pelo preço registrado, tendo em vista a escassez dos produtos no mercado.
2-No período entre 1 e 4 de abril observamos quase que o esgotamento de máscara N95 na em toda a rede, onde a necessidade seria entre 27 e 30 mil unidades por mês, porém neste período o somatório total do estoque encontrava-se em torno de 4.200 unidades na Paraíba. 
Constatou-se que nesta oportunidade 17 hospitais dentre os 32 da rede estavam com estoque zerado.
3-A escassez de EPIs foi conhecida e sentida em todos os entes federados, principalmente no início da quarentena, de sorte que não há como se comparar os valores praticados em momentos distintos.
4-A compra apontada foi efetivada em 6 de abril, momento em que os estoques de máscara N95, essenciais para uso nas UTIs, estavam em momento crítico e em desabastecimento internacional. 
Importante destacar também que neste período a Secretaria de Estado da Saúde realizou ação conjunta com o Ministério Público Estadual, Secretaria de Estado da Fazenda, Polícia Civil e Polícia Militar, com objetivo de requisição administrativa nas empresas fornecedoras de Equipamento de Proteção Individual nas cidades de João Pessoa e Campina Grande. 
E nenhuma delas dispunha de máscaras N95 em seus estoques.
5-A SES realizou processo de aquisição de máscaras no quantitativo necessário para abastecer a Rede Hospitalar Estadual, realizando tomada de preço com 7 empresas, porém apenas uma delas com capacidade de fornecimento imediato, com a qual foi firmado o contrato de fornecimento e o produto entregue em 7 de Abril. 
Cabe destacar que outros órgãos do Governo Federal, como Anvisa e Comando do Exército, realizaram compra de máscaras N95 ao custo unitário de R$ 87,50 e R$79,00, respectivamente, entre 20 de fevereiro e 25 de março.
Portanto bem superior ao valor de R$54,99 adquirido pela Secretaria de Saúde do Estado.
A RECOMENDAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS
O Ministério Público de Contas (MPC) pediu em caráter de urgência, que o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) suspenda um contrato no valor de R$ 2,1 milhões firmado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) para compra de 40 mil máscaras N95 com carvão ativado.
Segundo investigação do Ministério Público de Contas, há indícios de que os equipamentos de proteção individual foram comprados pelo governo do estado por pouco mais que o dobro do valor de mercado.
Ainda de acordo com o pedido cautelar, o MPC explica que, de acordo com a nota fiscal, cada uma das máscaras saiu ao preço de R$ 54,99.
A partir da pesquisa na ferramenta Preço de Referência – plataforma desenvolvida a partir de parceria realizada entre o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, Governo do Estado da Paraíba e a Universidade Federal da Paraíba, é possível observar que para órgãos públicos o preço médio da mercadoria (máscara PFF2 N95) foi de R$ 23,54”, afirmou no pedido.
Sem levar em consideração o sistema de referência, o Ministério Público de Contas anexou um cupom fiscal mostrando que possível comprar o mesmo material em farmácias de João Pessoa pelo preço de R$ 24,99.
Levando-se em conta o quantitativo de máscaras da nota fiscal (40.000) e considerando como parâmetro para comparação os preços de mercado na faixa entre R$ 23,54 e R$ 24,99 demonstrados anteriormente, vislumbra-se um sobrepreço superior a 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais), o que perfaz mais de 54% a título de acréscimo”, explicou na petição o MPC.
Por conta das situações de perigo da demora e da possibilidade de bom direito, o MPC pede que o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba suspenda o contrato firmado entre a SES e a empresa Nacional Comércio e Representação Eireli a fim de evitar dano aos cofres públicos.
(Por www.renatodiniz.com com assessorias)

6 comentários:

  1. MÁSCARAS A 87,50 ???? TALVEZ SEJAM FOLHEADAS A OURO E CRAVEJADAS COM RUBIS E DIAMANTES ! LÁ VEM A CONTA PARA O POVÃO BESTA, DO QUAL FAÇO PARTE, PAGAR ! ETA, BRASILZÃO BOM !!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. se eu ganhar uma mascara dessa ai eu vou guardar com muito carinho e bastante cuidado porquê e muito caro.eu acho se eu colocar em leilão vou arrecadar um valor muito maior.

    ResponderExcluir
  3. politicos é igual urubu só vive de barriga cheia com a morte de outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NUMA ÉPOCA DE PANDEMIA, EXISTE UMA MÉDIA DE 1 MÉDICO PARA 20 PACIENTES. E NO ENTANTO, EXISTEM NO MÍNIMO 20 ASSESSORES PARA CADA POLÍTICO !!!!
      ETA, BRASILSÃO BOM DA GOTA SERENA !!!!!!!

      Excluir
  4. E qto a compra de respiradores de 23 mil comprados a 198 o qu8e oestado tem a dizer?bando de corruptos...

    ResponderExcluir
  5. Agora sim está do jeito que estes políticos bandidos querem, o que estava faltando era dinheiro pra essa corja de vagabundos, políticos Brasileiros só pensam em uma forma de enxerem o bolso de propina.

    ResponderExcluir