segunda-feira, 15 de junho de 2020

FGTS EMERGENCIAL SERÁ LIBERADO INICIALMENTE SÓ EM POUPANÇA DIGITAL

Trabalhadores formais que tenham saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço em contas ativas ou inativas do FGTS terão um teto de “1.045 reais” liberado a partir do próximo dia 29.
Os depósitos seguirão até 21 de setembro, de acordo com o mês de nascimento do beneficiário.
Mas, este valor emergencial — correspondente a um salário mínimo e concedido em virtude da crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus — estará incialmente disponível apenas em meio digital para compras e pagamentos eletrônicos por meio do aplicativo Caixa TEM: o mesmo app do auxílio de “600 reais”.
Saques e transferências do dinheiro do FGTS só serão autorizados a partir de 25 de julho e também de forma escalonada, conforme a data de aniversário do trabalhador.
Portanto, as pessoas não precisam se dirigir às agências da Caixa”, ressalta o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sérgio Takemoto.
Como o saque do dinheiro do FGTS só será autorizado no final de julho, quem tiver direito ao recurso poderá usar o aplicativo [Caixa TEM] para pagar contas de água, energia, telefone, cartão de crédito e outros boletos, além de fazer compras pela internet”, explica.
A consulta ao saldo do Fundo de Garantia pode ser feita por meio do site e do aplicativo do FGTS como também pelo Disque 111 (opção 2).
Pela internet, é preciso confirmar o número do NIS (Número de Identificação Social) ou informar o CPF para o cadastramento de uma senha e as demais etapas de acesso aos dados. 
O NIS (também chamado de NIT) e o PIS/Pasep são o mesmo número. 
A diferença é que eles são gerados em bases de dados diferentes.
Realizando de forma eletrônica a consulta aos dados e o cadastramento ao cartão Caixa TEM, evita-se a ida desnecessária às agências”, destaca o presidente da Fenae. 
Tumultos como aqueles que vimos nos pagamentos do auxílio emergencial não podem se repetir. São situações que colocam em alto risco a saúde das pessoas como também dos bancários da Caixa, que vêm realizando um serviço essencial à população desde o início da pandemia”, emenda Sérgio Takemoto.
(Fenae)

Nenhum comentário:

Postar um comentário