sábado, 10 de fevereiro de 2018

“MUITA ÁGUA NESSA HORA”: CAMPINA FICOU DEBAIXO DE CHUVA NA NOITE DA SEXTA

A noite da sexta-feira (09/02) em Campina Grande foi marcada por uma chuva de pouco mais de uma hora que deixou boa parte da cidade “debaixo d’água”.
Em média, em Campina, foi registrada uma chuva de 51mm.
Só no Bairro Alto Branco, onde mais choveu, o registro foi de 76mm.

Um volume muito grande de água em pouco espaço de tempo”, disse ao www.renatodiniz.com, o engenheiro agrônomo Isnaldo Cândido, especialista em recursos hídricos.

Trechos da Avenida Floriano Peixoto, que corta a cidade, ficaram intransitáveis ou bastante alagados.

Avenidas e ruas de vários bairros também ficaram intransitáveis, veículos foram quase que engolidos pelas águas, muros de residências desabaram (um dos casos ocorreu na Rua Benedito Mota, no Alto Branco), uma academia foi inundada no Alto Branco, canais transbordaram e pontos conhecidíssimos da cidade, onde sempre alagam com pouca chuva, na noite da sexta voltaram a apresentar inundações num volume muito maior.

Os pluviômetros instalados em Campina Grande pelo CEMADEN – Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais – registraram  76mm no Bairro Alto Branco; Catolé 53mm; Malvinas/Bodocongó 52mm; Jardim Paulistano/Distrito dos Mecânicos 46mm;  Catingueira 34mm; e Mutirão com chuvas de 32mm.

Em muitos casos as inundações foram provocadas pelo entupimento das vias de escoamento.
O INMET/EMBRAPA – Instituto Nacional de Meteorologia registrou dados parciais de 51mm em  Campina.
Estação do INMET - EMBRAPA:
Distribuição da chuva no intervalo de tempo na noite desta sexta:
19h às 20h = 1,6 mm
20h às 2 h = 36,0 mm
21h às 22h = 13,6 mm
22h às 23h =  0,2 mm
TOTAL = 51,4 mm
DEFESA CIVIL
Em contato com o www.renatodiniz.com, o coordenador da Defesa Civil em Campina, Ruiter Sansão, fez algumas observações:
*Precisamos retirar três famílias no Jardim Verdejante, Novo Horizonte e Jardim Paulistano. Essas famílias não ficaram desabrigadas, mas precisam ser retiradas”;
*Por outro lado preocupa muito a Vila dos Teimosos: muita água no açude de Bodocongó e muitas residências às margens”;
*O local mais grave, onde a STTP teve muito trabalho, foi a Avenida Floriano Peixoto, próximo ao Maxx, nas Malvinas. As águas não fluíram e os carros tiveram que voltar na contramão”;
*Deu para perceber que muitos veículos sofreram com as chuvas. Muitos deram pane em locais alagados”;
*Estamos com duas equipes”;
*Árvores caíram, parte do muro da escola Monte Carmelo (Pedregal) caiu. Estamos aqui de prontidão".
BOQUEIRÃO
O Açude Epitácio Pessoa/Boqueirão está com um volume de 10,3%.
O mesmo volume de desde o dia 31 de janeiro.
(Com informações de Isnaldo Cândido, INMET, CEMADEN, Ruiter Sansão).
Fotos: facebook  e Whatsapp

Nenhum comentário:

Postar um comentário