segunda-feira, 15 de julho de 2019

SEM BOMBEAMENTO, TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO TEM RACHADURAS E PLANTAS NO CONCRETO

*Em alguns lugares moradores relatam que plantas, nascidas dentro do Canal, já têm até um metro de altura
A última vez que o canal da Transposição das Águas do Rio São Francisco recebeu água foi há mais de três meses.

De lá para cá tem surgido rachaduras e até plantas nas margens e dentro do canal de concreto.
A denúncia de abandono no Eixo Leste está sendo feita pelo vereador da cidade de Monteiro, no Cariri do Estado, Ricardo Menezes (Cajó).
Ele conta que sem a água do Velho Chico os moradores ribeirinhos têm passado dificuldades na região.
Não temos uma resposta concreta do Governo Federal. A população ribeirinha está prejudicada. Uma obra caríssima e começando a ter desgaste acima do normal”, afirmou Cajó.
Em alguns pontos, as árvores dentro do canal têm mais de um metro de altura.
As águas da Transposição começaram a chegar na Paraíba no Eixo Leste no dia 08 de março de 2017.

A obra, que foi iniciada na gestão do ex-presidente Lula (PT) e concluída com o ex-presidente Michel Temer, prometia garantir a segurança hídrica para cerca de um milhão de pessoas que seriam beneficiadas com o projeto, contemplando 35 cidades da Paraíba e de Pernambuco.
As águas da Transposição abastecem Campina Grande e mais dezoito cidades do Estado, através do Açude de Boqueirão.
Na época em que foi inaugurada a obra retirou o açude, que estava com 2,9% da capacidade, de um colapso iminente.
O Eixo Leste é composto por 217 km.
São seis estações de bombeamento, cinco aquedutos, um túnel e 12 reservatórios.
MPF E MPE ACOMPANHAM OBRA
Desde 2017 o Ministério Público Federal vem acompanhando, juntamente com o Ministério Público Estadual, a manutenção das obras do Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco – através do Inquérito Civil nº 1.24.004.000005/2017-61. 
O MPF pedirá informações ao Ministério do Desenvolvimento Regional sobre as supostas rachaduras e mato no canal, caso os fatos cheguem ao conhecimento do órgão”, afirma em nota o MPF.
OUTRO LADO
O blog procurou o Ministério do Desenvolvimento Regional, responsável pela gestão da obra da Transposição, mas até agora não obteve resposta sobre a situação do canal.
(Por João Paulo Medeiros – Pleno Poder/Jornal da Paraíba)
Fotos: Edvaldo José

Um comentário:

  1. obras que custaram tanto dinheiro hoje está no abandonado kd os poderes público pra ver isso ai

    ResponderExcluir