sexta-feira, 19 de julho de 2019

CASAL ACUSADO DE TORTURAR MENINO DE SETE ANOS ACABA NA CADEIA

*Padrasto e mãe do menino negam crime
*Menino continua internado e passa bem
Foi preso por força de Mandado de Prisão Preventiva, na manhã desta quinta-feira (18/07) o casal acusado de torturar um menino de sete anos na cidade de Boqueirão, no Cariri paraibano.

Edílson Cosme (o padrasto) e Maria Aparecida (a mãe) foram presos por policiais da 11ªDSPC/Queimadas na residência de parentes em Boqueirão.
Os PCs também localizaram dentro da residência do casal objetos como fios e velas que eram utilizados para as agressões.
O menino eram queimado com pingos de vela, surrado com fios, passava fome, era amarrado ou acorrentado e ainda era orientado a mentir, ou seja: quando alguém perguntasse por qual motivo ele estava ferido, a criança era obrigada a dizer que tinha caído ou sofrido outro tipo de acidente.
Foi na escola que onde estuda, que os professores começaram a observar o menino que estava desnutrido e a partir de então o Conselho Tutelar de Boqueirão tomou conhecimento do caso, resgatou o garoto e de tão grave que era a situação, ele teve que ser internado no Hospital de Trauma em Campina Grande, onde permanece desde o dia 10 de julho.
O menino emocionou os médicos do Trauma devido ao seu estado crítico.
Ele vai passar por cirurgia no couro cabeludo por conta de um ferimento.
Laudos do IPC confirmaram as agressões contra o menino e foram fundamentais para que a polícia civil solicitasse as Prisões Preventivas.
Além disso, a polícia também ouviu testemunhas, médicos, conselheiros tutelares e a própria vítima.
O menino, inclusive, foi quem disse onde estavam os objetos usados contra ele.
O casal negou as acusações e aguarda preso, na Carceragem da Central de Polícia, em Campina Grande, a audiência de custódia que será realizada em Boqueirão.
Os crimes são de tentativa de homicídio e tortura.
(Por www.renatodiniz.com)

Um comentário: